sábado, 12 de março de 2016

OUTROS CONTOS

«Introspecção», conto poético por Matias José.

«Introspecção»
Conto Poético por Matias José

Mote

Fito-me frente a frente
E conheço quem sou.
Estou louco, é evidente,
Mas que louco é que estou?

[Fernando Pessoa]

755- «INTROSPECÇÃO»

Faço introspecção
Ao ver-me no espelho...
Aceito bom conselho
De irmão pra irmão.
Abro o meu coração
Com a força da mente,
Sinto o que ele sente
E nada digo a ninguém…
Quando me convém,
Fito-me frente a frente.

De mim pouco sabem
Passo despercebido…
Sem dar grande alarido,
Não há que me gabem.
As dúvidas acabem
Se alguma ainda restou,
Houve quem se enganou
Pensando conhecer-me…
Sou eu a contradizer-me,
E conheço quem sou.

Acordo meio agitado
De um sono inquieto…
O sonho anda por perto,
E o tempo ali parado.
Fico assim em estado
D' aflição permanente,
Penso até estar ausente
Neste mundo perdido…
Será que perdi o sentido?
Estou louco, é evidente!

Não é fácil descrever
Certo estado d’alma…
Se consigo, isso acalma,
A mão deixa de tremer.
O tempo passa a correr
Como vento que passou,
Nunca mais cá voltou
Assim é desde o começo…
Louco dizem que pareço,
Mas que louco é que estou?

Matias José

3 comentários:

Anónimo disse...


Caro Conterrâneo:

Feliz Aniversário !

Muita saúde, amor, paz, esperança, alegrias e ânimo !

Um abraço amigo

Um beijinho ao seu Pai.


Quanto á "INTROSPECÇÃO"..., nem comento, a QUALIDADE DE SEMPRE !

Uma Alandroalense (Liva)

Anónimo disse...

Sem dúvida as décimas de grande qualidade com um mote nada fácil. BRAVO!

Faço cópia do poema de PESSOA

Fito-me frente a frente

Fito-me frente a frente
E conheço quem sou.
Estou louco, é evidente,
Mas que louco é que estou?

É por ser mais poeta
Que gente que sou louco?
Ou é por ter completa
A noção de ser pouco?

Não sei, mas sinto morto
O ser vivo que tenho.
Nasci como um aborto,
Salvo a hora e o tamanho.

Fernando Pessoa

Anónimo disse...

Décimas de altíssima qualidade, quer na métrica, rima ou conteúdo riquíssimo. Os meus parabéns ao poeta que tão bem escreveu sobre mote de um dos maiores génios da poesia e literatura portuguesa... simplesmente PESSOA.