sexta-feira, 18 de março de 2016

OUTROS CONTOS

Continuação... por aqui- «OUTROS CONTOS»

«Introspecção», conto poético por Matias José.

«Introspecção»
Conto Poético de Matias José

Mote

É por ser mais poeta
Que gente que sou louco?
Ou é por ter completa
A noção de ser pouco?

[Fernando Pessoa]

758- «INTROSPECÇÃO»

O vício da poesia
Foi mais forte que eu,
Bem cedo aconteceu
Escrever o que sentia.
Versar me sucedia
De alma desperta,
A métrica era certa
Na sua profundidade…
Rimar, em boa verdade,
É por ser mais poeta!?

Pode às vezes parecer
Exagero da minha parte…
Não é preciso ter arte
Pra me dar a conhecer.
Começo por vos dizer
Que hoje acordei mouco,
A quem isto sabe apouco
Acabei por ficar mudo…
Penso de mim, contudo,
Que gente que sou louco!

Não há ementa perfeita
Nem sabor que se repita…
Mesmo em papel escrita,
Sai sempre outra receita.
Dizem ser imperfeita
A mão que não acerta,
Não creio estar certa
Essa forma de pensar…
Sem razão ao afirmar,
Ou é por ter completa?

 Pequeno grão de areia
Que coisa insignificante,
Não deixa de ser brilhante
Quando nasce a lua-cheia.
De um átomo nem meia
Partícula sou tampouco,
Questiono-me semilouco
Com todo o meu empenho…
Em resposta só obtenho,
A noção de ser pouco!

Matias José

2 comentários:

Anónimo disse...

BRAVÍSSIMO!!!

Anónimo disse...


ERGO A MINHA TAÇA E TIRO O MEU CHAPÉU !!!

Parabéns, Caro Conterrâneo !

Muito Obrigada

Uma Alandroalense (Liva)